Situada a norte do concelho de Arcos de Valdevez, esta aldeia é uma das mais antigas do Alto Minho e é uma pérola da natureza enclausurada num vale às portas do Parque Nacional Peneda Gerês, muito próxima da nascente do rio Vez.
  Sistelo é um exemplo da capacidade de adaptação do Homem às singularidades e adversidades da natureza, transformando-a em prol das suas necessidades e simultaneamente criando um quadro de rara beleza que são os socalcos.
  Os socalcos de produção agrícola são o resultado da ocupação humana que acabaram por moldar a paisagem atribuindo-lhe a característica peculiar que distingue Sistelo, apelidando-o de “pequeno Tibete português”. Fruto da necessidade de sobrevivência de outrora, são agora pinceladas marcantes de um quadro vivo que testemunham a dureza do trabalho da agricultura de subsistência.
  Com eles estão também associados o conceito de comunidade, de entreajuda, da necessidade de um povo em se unir para sobreviver. Os fornos comunitários, os moinhos, os espigueiros e uma fonte de vida que os une, “O rio Vez”. Com ele surgem as levadas (os canais de regadio) que atravessam os socalcos e são fonte vital para a cultura do milho e feijão tarrestre.

  Paisagem cultural de Sistelo:

  • ​Monumento Nacional;​​

  • 7 Maravilhas de Portugal "Aldeias Rurais";

  • Reserva Mundial da Biosfera "UNESCO".