top of page
  • Foto do escritorArcos Tour

Arcos de Valdevez

Ponte dos Arcos | Arcos de Valdevez
Ponte dos Arcos | Arcos de Valdevez

"Arcos de Valdevez, onde Portugal de fez!", é sem sombra de dúvidas uma das terras mais bonitas de todo Minho e de Portugal, com uma história ímpar, tendo sido parte integrante de dois episódios históricos ligados à independência de Portugal.

Arcos de Valdevez é vaidoso pela riqueza das suas belíssimas paisagens entre serras, planaltos, vales, barragens, cascatas e uma biodiversidade riquíssima que deve ser preservada.

Para além de toda a beleza natural, é igualmente uma zona de tradições e costumes, já habitada desde o período neolítico, constituída por pequenas aldeias que sabiamente combateram o passar do tempo, recorrendo a um espírito comunitário muito próprio, subsistindo através da agricultura e da pastorícia.

Gravuras Rupestres | Arcos de Valdevez
Gravuras Rupestres | Arcos de Valdevez

A uns meros 60 minutos do Porto, mais precisamente no distrito de Viana do Castelo, encontra-se o verdejante Município de Arcos de Valdevez, o maior concelho de todo Alto-Minho com cerca de 445 km quadrados, integrando uma grande parte do Parque Nacional Peneda Gerês, e da Reserva Transfronteiriça Gerês-Xurês declarada pela UNESCO.

Arcos de Valdevez sofre a influência de um clima de tipo atlântico, que assume algumas feições consoante a variação da altitude, caracterizado por chuvas abundantes e temperaturas moderadas.

O ponto mais alto do município situa-se na Pedrada - Serra de Soajo, com a altitude de 1416 metros.

Arcos de Valdevez
Arcos de Valdevez

A origem do nome Arcos de Valdevez está ligado a 2 aspetos:

  • à Ponte dos Arcos localizada no seu centro;

  • e à localização da vila ser num vale, atravessado pelo Rio Vez ("Vez" - origem Celta).

Em outros tempos, esta terra era chamada de Arcobriga (origem Romana/Celta), e também de Terras do Vez ou Terras de Val-de-Vez.

Reencontro de Valdevez
Reencontro de Valdevez | Estação de S. Bento

No que toca ao enquadramento histórico, Arcos de Valdevez detêm registos ligados à pré-história, justificados pelos diversos achados arqueológicos, de que se destaca o Núcleo Megalítico do Mezio.

O seu principal evento histórico, é o Torneio de Valdevez (1141) também conhecido por "Reencontro, Recontro ou Bafordo de Valdevez", que foi um importante e decisivo episódio da História de Portugal ligado à fundação da nacionalidade. Tendo em conta este episódio histórico, e tendo em conta que o mesmo estará na origem da celebração do Tratado de Zamora (1143), o Município de Arcos de Valdevez assumiu o slogan turístico "Arcos de Valdevez, onde Portugal se sez!". Posto isto, todos os anos é realizado uma feira medieval em Arcos de Valdevez, intitulada de Recontro de Valdevez.

Representação "Torneio de Valdevez"
Representação "Recontro de Valdevez"

Arcos de Valdevez também terá sido um dos palcos ligados à Guerra da Restauração, em que, em 1662, a vila foi incendiada pelo general governador de armas de Castela, D. Baltazar Rojas Pantoja, tendo inclusive estabelecido o seu quartel-general no Paço de Giela.

Da Guerra da Restauração resultaram os Fortes do Extremo.

Fortes do Extremo | Arcos de Valdevez
Fortes do Extremo | Arcos de Valdevez

Todo o concelho é caracterizado pela paisagem verde, com a fauna e flora abundante, e o Rio Vez que marca a vida arcuense, por alguns estudiosos considerado, o rio menos poluído da Europa.

Em termos de flora, as espécies mais características são o carvalho, o medronheiro, o azevinho, o azereiro ou o pinheiro, e diversas espécies de arbustos como urzes e giestas, bem como outras espécies apenas encontradas nesta região.

Com abundância de água e floresta cerrada, a fauna encontra aqui um habitat perfeito, podendo se encontrar exemplares tais como javali, texugo, lontra, marta, esquilo-vermelho, lobo-ibérico, corço, águia-real, águia-de-asa-redonda, falcão, víbora-cornuda, cobra-d’água, lagarto-d’água, salamandra, e em outros tempos até ursos (extintos).

Encontra-se também em Arcos de Valdevez a Mata do Ramiscal, uma zona de proteção total do Parque Nacional Peneda Gerês, isto por deter ainda a flora primitiva portuguesa.

Lobo-Ibérico
Lobo-Ibérico

A gastronomia do Alto-Minho, será sem dúvida uma das melhores a nível nacional e também mundial.

Ao longo do ano, são muitos os que se deslocam a Arcos de Valdevez, vindos das cidades, para saborear os pratos típicos, sendo que inclusive o Município de Arcos de Valdevez detêm um programa de turismo denominado de "Fins de Semana Gastronómicos", propositadamente para combater a sazonalidade característica do turismo nestas regiões.

Arcos de Valdevez é uma terra conhecida sobretudo pelas suas carnes e doces, mas também pelos seus vinhos, nomeadamente os vinhos verdes.


Os pratos típicos de Arcos de Valdevez são:

No que diz respeito aos doces, Arcos de Valdevez detêm autoridade nesta matéria, sendo que, o doce Charutos dos Arcos, a 7 de setembro de 2019, venceu o concurso nacional 7 Maravilhas de Portugal na categoria dos doces, num total de 907 as candidaturas submetidas.


Os doces de Arcos de Valdevez são:

Relativamente aos vinhos, Arcos de Valdevez encontra-se inserido na região demarcada dos vinhos verdes, porem, inserido nos vinhos verdes encontram-se várias castas. As castas referentes à zona de produção de Arcos de Valdevez são:

  • Brancos: Loureiro, Arinto e Trajadura.

  • Tintos: Vinhão, Barraçal e Espadeiro.

Mapa do Vinho Verde
Mapa do Vinho Verde

Com uma localização geográfica atrativa, a unicamente 60 minutos do Porto, e integrando uma grande parte do Parque Nacional Peneda Gerês, o Turismo Rural em Arcos de Valdevez é já uma fatia considerável da economia local.

São ilimitados, os recantos e miradouros de uma beleza ímpar, caracterizados por vales e montanhas, ribeiros e florestas, animais e pessoas, costumes e tradições.

A natureza, conserva todo o seu encanto original, e esconde aldeias comunitárias de serra tais como Sistelo, Soajo, Peneda, e outras tantas que ladeiam a Serra do Soajo.

Nas encostas do Rio Lima e do Rio Vez, onde o vinho amadurece e o sol se põe., erguem-se velhas casas senhoriais, torres, pontes e templos.

Aqui as populações mantêm os seus usos e costumes ancestrais, os valores artísticos e etnográficos relacionados à arte popular, os ofícios e utensílios, o folclore, as festas e exposições, e as romarias.


Paz e silêncio da serra, maravilhas que a vista alcança, ruralidade com simpatia, excelência da gastronomia, Arcos de Valdevez um episódio na vida.

Desfile de Bois da Páscoa
Desfile de Bois da Páscoa

Também com o passar do tempo, e sendo uma característica tão humana, a imaginação ou simplesmente a verdade, deram origem a uma grande quantidade de lendas, tais como:

  • O Juiz de Soajo

  • A Cabeça da Velha

  • Moira Encantada de Giela

  • Senhora da Peneda e a Pastorinha

  • A Veiga da Matança

  • As Bodas do Cemitério

  • Mosteiro do Ermelo

  • O Velho de Cabreiro

  • A Velha Sarramalha

  • As Feiticeiras do Mezio

  • O Acompanhamento

  • A Berrega ou Pito da Morte

  • O Livro de São Cipriano

  • O Monteiro com D. Dinis as Costas

  • O Varrimento da Feira de Valdevez

Juiz de Soajo
Representação "Juiz de Soajo"
125 visualizações
bottom of page